segunda-feira, maio 31, 2010



Como reza a lenda existem vários tipos de fadas, algumas têm a nossa aparência e o nosso tamanho, outras possuem corpos de tamanho de crianças e outras no entanto não ultrapassam os 20-30 cm.
Algumas são as aparições das antigas deusas pagãs e outras são espectros, como as Banshies da Irlanda, mas todas elas acabam por ser a manifestação da fantasia e da natureza.
As Fadas são divindades da natureza, elas são parte das arvores, florestas e das flores...
A palavra "fada" remonta-nos à Idade Média por volta dos anos de 1150, e é geralmente aceite que "fada" vem do latim "fatum", o destino e de "fata" o nome para a deusa do destino em latim.
Para os Romanos, as fata eram as ninfas e silfos, entidades e divindades da natureza aos quais prestavam homenagem.
A palavra fada foi assim avançando no tempo, o verbo latino "fari" que significa profetizar e que por sua vez origina do francês arcaico "faer" que significa enfeitiçar, e assim a palavra se foi transformando na nossa actual "fada".
Os reinos imaginários, os territórios feéricos não são conhecidos por nenhum mortal, em alguns textos da Idade Média existem inúmeros locais de passagem para esses territórios, nos romances de fantasia é comum ver-se um cavaleiro a perseguir um cervo ou corça normalmente de cor alva, é um animal mágico que engana assim o cavaleiro conduzindo-o ao local onde se encontram as fadas, logo que o cavaleiro conseguia apanhar o animal, ele desaparecia ou transformava-se numa bela dama jovem e o cavaleiro pensaria ter encontrado a felicidade suprema, mas na verdade, caso ele não se acautela-se seria subjugado para todo o sempre...
Um desses territórios feéricos, é por excelência a ilha de Avalon, onde segundo reza a lenda está sepultado o grandioso Rei Artur e onde apenas os seres feéricos e alguns cavaleiros que por sua pureza são dignos de entrar para essa terra maravilhosa e cheia de magia...
No entanto as alianças com as fadas são possíveis, mas ficam sujeitas a condições que nós os mortais dificilmente conseguimos respeitar, aos nossos olhos essas regras parecem banais ou caprichos das fadas e assim transgredimos facilmente as regras perdendo todo o amor da fada encontrada…
Por exemplo a proibição de chamar a fada pelo seu nome, evocar a sua presença a uma terceira pessoa, pronunciar certas palavras etc...
À mínima falha a fada desaparece como também o seu amor.
Há uma lenda bem evocatória destas regras, existe a historia de um fidalgo no centro de França que encontrou uma dama tão bela que quis casar logo com ela, essa dama obviamente era uma fada, e logo aceitou, mas com a condição de que ele nunca pronunciasse a palavra “morte”. O fidalgo aceitou logo, pois ele apenas agora só pensava na vida alegre que teria com a fada.
Ele conseguiu manter a promessa e durante muitos anos ele viveu uma felicidade extrema, mas um dia, infelizmente a fada atrasou-se um pouco mais para se arranjar e ir ao encontro dele, ao chegar ele disse de repreensão. "– Senhora minha, seríeis uma boa mensageira da morte, pois levais muito tempo a desempenhar as vossas tarefas."
Nisto, mal acabou de dizer a frase a fada deu um grito e desapareceu para todo o sempre …
Outras das Fadas mais conhecidas são as Banshies, ás quais lhes cabe o papel de anunciar a morte e só algumas das famílias de alta linhagem ou pessoas dotadas para a musica são protegidas por estas fadas, pois a musica e a poesia são dons das fadas e quem possui estes dons é aparentado com os povos feéricos.
Por vezes a Banshie assume a forma de uma virgem que morreu jovem ou pode surgir sob a forma de uma mulher envolta num sudário lamentando-se debaixo da sua cara tapada, também pode voar sob os raios da lua chorando amargamente e o choro desse espírito é o mais tenebroso que se pode ouvir em qualquer parte da terra, é o pressagio da morte...
As Fadas foram também algo muito importante na cultura celta, eram divindades femininas, os antigos celtas representavam-nas muitas vezes como três mulheres tendo nas mãos flores e frutos, símbolos da abundância e prosperidade. As Fadas são fiandeiras do destino do mistério e da vida...
Elas permanecem nas nossas vidas, em nós, quer queiramos ou não e tal como diz a frase de James Matthew Barrie em Peter Pan: "Cada vez que uma criança disser : "Não acredito em fadas", uma delas, em qualquer lugar, morrerá"
Assim que deixarmos de acreditar nelas, elas morrem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou do post?
Comente!
Sua opinião é muito importante para nós!!!